Perfil dos diretores escolares

Instituto Paulo Montenegro

=== PARTE 1 ====
=== PARTE 2 ====
=== PARTE 3 ====
=== PARTE 4 ====
=== PARTE 5 ====
=== PARTE 6 ====
=== PARTE 7 ====
=== PARTE 8 ====
=== PARTE 9 ====
=== PARTE 10 ====

Sumário e conclusões

Esta pesquisa realizada com os gestores das redes públicas das principais capitais do país tem o mérito de reunir um conjunto de informações que, se não inéditas, raramente estão disponíveis a partir de uma única fonte.

O ineditismo e o grande potencial deste estudo está, portanto, em permitir correlacionar dados factuais sobre o perfil sociodemográfico e acadêmico dos gestores escolares (hoje disponíveis com grande riqueza de detalhe nas fontes oficiais disponibilizadas pelo MEC e por muitas secretarias estaduais e municipais, até mesmo em bases censitárias) com informações de natureza perceptiva e opinativa.

Este foi o principal objetivo do estudo e para tanto foram construídas perguntas que pretendiam verificar um conjunto de hipóteses formuladas por seus organizadores. Após a análise dos resultados, podemos sintetizar suas principais constatações, agrupando-as como segue:

As certezas reconfirmadas:

- Os gestores da rede pública de ensino são predominantemente mulheres, mas a proporção de homens cresce de acordo com o nível de ensino: no Ensino Médio, um terço dos gestores é do sexo masculino;

- A idade média dos gestores escolares das redes públicas das principais capitais brasileiras é de 46 anos. Estão na profissão há oito anos em média e há cinco anos na escola atual;

- Formados na grande maioria dos casos no Ensino Fundamental e Médio pela rede pública, estes gestores tendem a migrar para a rede particular na graduação;

- Pedagogia é a principal área de graduação dos gestores, principalmente das séries iniciais. A maioria fez pós-graduação (especialização). Além de Pedagogia, Gestão Escolar é o curso mais procurado, em especial na área de Aprendizagem.

As constatações observadas ao longo do estudo, aqui reportadas na sequência em que aparecem no questionário e no presente artigo:

- A avaliação feita pelos gestores escolares das redes públicas das principais capitais brasileiras sobre os cursos de graduação é muito positiva, embora não considerem que esta os tenha preparado para a gestão escolar;

- Os cursos de especialização, além de positivamente avaliados, são também considerados como tendo colaborado de maneira efetiva com a melhoria da gestão da escola;

- Os gestores participantes do estudo consideram ter um papel importante na educação mas sentem que não são valorizados pela sociedade;

- Muito envolvidos com questões burocráticas, o papel dos gestores escolares das redes públicas dos principais centros urbanos do país está mais voltado para aspectos do dia a dia do que para o planejamento de longo prazo. Eles buscam garantir aos alunos as condições certas para a aprendizagem, mas mesmo assim consideram que o tempo voltado a algumas dessas atividades, que requerem contato mais próximo com alunos e pais ou para planejamento, é insuficiente;

- A satisfação com o cargo, no dia a dia depende primordialmente de alguns fatores: relacionamento com os pais, estabilidade da carreira, qualidade da própria gestão, nível de formação e especialização dos professores. Para alguns gestores, o fato de atuar na rede pública é mais um fator positivo, enquanto para outros este fator converte-se em insatisfação;

- A remuneração é o fator de maior impacto negativo no grau de satisfação com a profissão. Outros fatores que impactam negativamente a satisfação dos gestores com sua profissão são: a reduzida quantidade de funcionários de apoio e a falta de orientação para a inclusão de deficientes (a estrutura física e falta de treinamento para atuar junto ao segmento são consideradas inadequadas);

- Na visão dos gestores entrevistados, as questões vinculadas às condições de trabalho são consideradas como tendo um impacto direto na qualidade do ensino e nos resultados de aprendizagem. Bons salários, professores com boa formação e assíduos, material didático, estrutura física adequada, merenda e outros funcionários de suporte fazem parte de um conjunto indispensável, mas nem sempre presente nas escolas;

- Os gestores percebem que algumas iniciativas positivas vêm sendo feitas: cursos de atualização, avaliações de desempenho e investimento em material didático são as mais frequentemente mencionadas;

- O suporte da família dos alunos é considerado relevante, mas na visão dos gestores entrevistados, nem sempre acontece: mesmo que o relacionamento entre a escola e os pais seja bom, há uma expectativa de que os pais desempenhem um papel mais ativo;

- Em geral, os gestores têm um grande envolvimento com seu trabalho, gostam do que fazem e do ambiente de trabalho, são apoiados por suas famílias e contam com o apoio dos pais de seus alunos;

- Saber ouvir, ter bom senso e espírito de liderança são qualidades importantes apontadas pelos gestores como essenciais para o bom desempenho nesta função.

As revelações intrigantes:

- As avaliações de desempenho de âmbito nacional são bastante conhecidas, mas há ainda mais de um terço dos gestores escolares que desconhecem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) das próprias escolas onde os gestores atuam;

- O fraco desempenho dos estudantes brasileiros na Prova Brasil é, na opinião dos diretores das escolas das principais capitais, imputado ao "governo", enquanto a comunidade e o professor aparecem como responsáveis secundários;

- "Assegurar que os alunos aprendam" é, dentre as finalidades da escola, classificada apenas na quarta posição por ordem de importância, precedida por "formar cidadãos", "estimular o espírito crítico" e "assegurar igualdade de oportunidades";

- Os professores, seguidos por coordenadores pedagógicos, o aluno e sua família são, para os gestores das redes públicas das principais capitais brasileiras, os fatores que podem fazer a diferença no desempenho de alunos de escolas semelhantes. Já entidades como MEC, Secretarias de Educação ou sindicatos não são percebidos como contribuindo concretamente como fatores de diferenciação no aproveitamento dos alunos.

Sumário

=== PARTE 11 ====

Continue lendo

Fundação Victor Civita Fundação Victor Civita Grupo Abril

Fundação Victor Civita © 2016 - Todos os direitos reservados